Sobre o espetáculo

    Coema é uma metáfora sobre o poder da narrativa e em como é importante lembrar de contar histórias uns aos outros.  É um espetáculo de contação histórias, mas também um espetáculo em si mesmo.

    Atriz e músico levam o público a uma trama que decorre da memória de infância de uma velha contadora de histórias. Esta história será um trampolim para a história principal da peça, "O Filho Mudo do fazendeiro", um conto popular escrito pelo autor brasileiro Ricardo Azevedo. A peça é chamada "Coema", que significa "já é dia" na língua indígena guarani. Coema também é o nome da heroína da história, que tenta fazer o filho do fazendeiro falar contando histórias.

    A performance mistura três linguagens artísticas: teatro, música e literatura, convidando o público para um encontro íntimo, olho no olho. Os adereços de palco são reimaginados de várias maneiras e cenas são criadas com poucos recursos visuais, permitindo assim que a imaginação e a criatividade dos espectadores participem do processo. A música tocada ao vivo cria um espetáculo à parte. No entanto, atriz e músico interagem na criação dessas imagens, e a música original, criada com referências à música tradicional brasileira e dinamarquesa, enobrece ainda mais o espetáculo, envolvido por uma narrativa poética.